A fonte do amor

August 18, 2017

 

“Se amais os que vos amam, qual é a vossa recompensa? Porque até os pecadores amam aos que os amam.” (Lc.6.32)

 

Você já observou como o amor humano é estranho, confuso e problemático? Pessoas que prometeram se amar por toda a vida, no dia seguinte estão brigando. Irmãos que deveriam cuidar um do outro deixam de se falar por causa de dinheiro, herança e coisas semelhantes. Amigos que diziam querer o bem recíproco ficam enciumados ao verem o sucesso do outro ou o surgimento de novos amigos. Pais deixam de dar aos filhos o melhor da educação, tomados por cuidados consigo mesmos. Por que o amor dos homens é tão estranho? Por causa da natureza pecadora.

 

O que fazer para mudar o comportamento do homem? Como é possível amar verdadeiramente? Para ambas as perguntas, a resposta é: Cristo. Jesus foi exemplo de vida em todas as coisas, inclusive com respeito ao amor. Todavia, não é ao exemplo de Cristo que precisamos recorrer, mas ao que Jesus fez e pode fazer na vida do ser humano. Tentar imitar Cristo sem crer na obra do Cordeiro de Deus nem desfrutar da nova vida em Jesus será uma tentativa inútil, pois nem pode satisfazer a justiça de Deus nem muito menos será suficiente para vencer a natureza pecaminosa que habita na carne. O homem precisa de ajuda para amar como Cristo nos amou. E essa ajuda precisa ocorrer diretamente no coração.

 

Mas, qual a diferença entre o amor comum, presente nos seres humanos, em geral, e o amor que emana de Jesus? Mesmo um perigoso criminoso pode amar um filho ou uma esposa. Ou seja, mesmo sem conhecer Jesus, o homem pode viver fragmentos do amor, pois Deus criou o homem a sua “imagem e semelhança” (Gn.1.26). Todavia, por causa do pecado, esse amor sempre estará marcado por deficiências visíveis e invisíveis aos olhos, ou seja, por imperfeições que ora podem ser vistas pelos homens ora só podem ser sentidas pelo coração. O amor dos homens é egoísta, pois funciona como moeda de troca quer desejando elogios das pessoas e/ou seus benefícios quer esperando merecer algo do Criador, diante do qual pretende mostrar que é digno de alguma coisa.

 

O amor de Cristo, todavia, é perfeito e sempre glorifica a Deus. Seu amor é todo santo e virtuoso, plenamente em acordo com a Verdade. Por amor, Jesus esvaziou-se de si mesmo, entregando-se numa cruz sem esperar receber nada em troca. Seu amor trouxe benefícios eternos para os homens e glória eterna para o Pai. O amor de Jesus estava fundamentado na Verdade da qual nunca abriu mão para agradar homens nem muito menos para alcançar benefícios. Seu amor não lhe trouxe status, poder, honras, elogios ou riquezas, mas humilhação, sofrimento e morte.

 

Contudo, ser cristão não é suficiente para viver o abundante amor de Deus, pois mesmo o cristão ainda precisa buscar em Jesus o auxílio necessário para vencer a natureza pecaminosa que insiste em coabitar com a nova vida concedida pelo Espírito Santo. Somente, a volta de Jesus trará ao cristão a completa vitória sobre a natureza pecaminosa. Portanto, enquanto esperamos Cristo voltar, precisamos lutar contra o pecado. Por isso, Paulo conclama a igreja a buscar uma vida cheia do Espírito Santo, a fim de vencer toda má inclinação da carne (Gl.5.16,22-23). Isso significa que você precisará buscar ao Senhor por meio da meditação na Palavra de Deus e constante oração.

 

Mas, como perceber que ainda precisamos buscar auxílio no Senhor para amar como Ele nos amou? Você precisa conhecer a si mesmo. Para isso, precisará ser confrontado pela Escritura que revelará seus pecados mais profundos e íntimos, os pensamentos e sentimentos mais ocultos e pecaminosos. Talvez, você consiga fingir para as pessoas e para si mesmo, mas diante de Deus estamos despidos de qualquer máscara. O verdadeiro cristão deve buscar a verdade sobre si mesmo, a fim de que o Senhor trabalhe sua vida por meio da Palavra e do Espírito. Não deixe seu coração enganá-lo, conheça-o por meio da Verdade e você poderá dominá-lo através do poder do Espírito.

 

Alguns testes simples podem mostrar que você precisa da ajuda de Jesus para amar como Ele nos amou: Você sente ciúmes de seus amigos mesmo sabendo que estão felizes com novas amizades? Seu coração espera reconhecimento quando você faz algo bom para as pessoas? Você só dá aquilo que tem em abundância? Você trata bem as pessoas, mas não se importa com a Verdade? Você dá prioridade a si mesmo nas filas de banco, supermercados, almoços etc? Seu coração sente inveja do sucesso de outras pessoas? Você faz seu melhor querendo ser visto e elogiado? Você gosta de ter a primazia? Você sente o coração triste quando não o notam ou não o elogiam por algo que fez? Você trata bem todas as pessoas ou somente aquelas que você escolhe? Você nega a si mesmo para que outros sejam abençoados?

 

Não faça uma avaliação simplória de si mesmo. Seja sincero, a fim de reconhecer seus próprios pecados, pois somente aquele que conhece a si mesmo pode confessar suas faltas e, arrependido, buscar no Senhor perdão e capacidade para viver uma nova vida em pleno acordo com o amor e santidade do Senhor. Será necessário, então, lutar contra si mesmo por meio do poder de Deus que provém da Escritura Sagrada e do Espírito Santo. Por meio deles, você se tornará mais parecido com Cristo a cada dia, crescendo no amor de Deus, dando testemunho da beleza da nova vida que encontramos em Cristo Jesus.

 

Portanto, se esforce para viver o amor de Deus. Muitos se acomodaram a uma vida comum, de sorrisos aparentes, relacionamentos superficiais e trocas de favores como expressões de um amor qualquer. Não deixe que isso aconteça com você, também. A igreja deve manifestar o Reino de Deus, o ambiente da graça, onde as pessoas deverão encontrar a Verdade, a Justiça e o Amor. Nela, os pecadores que se achegam a Cristo poderão ser motivados a buscar uma vida cheia do amor de Deus e, no aconchego dos irmãos, um refúgio do mundo hostil, injusto, mentiroso e mau. Aqueles que andam com Cristo há mais tempo tornam-se exemplos a serem seguidos ajudando os recém-convertidos a amarem uns aos outros como Cristo nos amou. E, desta forma, o amor de Deus é posto em prática no dia a dia da igreja de Jesus.

 

Portanto, mesmo que o amor possa ser praticado, parcialmente, por qualquer pessoa, você não deve se acomodar a isto. Ao perceber que seu coração precisa do trabalhar gracioso do Senhor, comece a sondá-lo à luz da Escritura, orando em busca de uma vida cheia de amor. Por meio do agir do Espírito e da Palavra de Deus você poderá viver o amor de Deus, seguindo os passos de Cristo. Mas, lembre-se que esse amor não o levará a honras, status e benefícios. O amor de Deus se manifesta no deserto, nos vales “da sombra da morte”, na cruz. A única glória desse amor está em agradar a Deus, colocando sempre a vontade do Senhor acima de sua própria vontade. Pois o amor que vem de Deus também volta para Ele, pois o “amamos porque Ele nos amou primeiro” (1Jo.4.19).

Compartilhe no Facebook
Gostei
Please reload

Posts Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Pastor Alexandre A. Costa

Ligue:

54 984 136 915

Igreja Matriz: 

Rua Ernesto Zanrosso, 2669

Caxias do Sul-RS

  • White Facebook Icon
  • White YouTube Icon
  • Branco Ícone Google+
  • SARCAICO

Envie seu Pedido de Oração

*Campos Obrigatórios

Congregação em Vacaria: 

Rua Teodoro Borges dos Santos, 520, Vacaria-RS

Versão 4.4.3 © 2017 Igreja Presbiteriana de Caxias do Sul. Todos os Direitos Reservados.