Ameaça sutil

November 22, 2017

 

“Ora, conhecendo eles a sentença de Deus, de que são passíveis de morte os que tais coisas praticam, não somente as fazem, mas também aprovam os que assim procedem.” (Rm.1.32)

 

A sutileza vil é mais perigosa do que qualquer ataque explícito à fé, pois enquanto este nos desperta a reação defensiva imediata aquela nos domina lentamente, sem percebermos, até que seu veneno letal tenha consumido cada parte de nosso ser. E isso vem acontecendo desde que a mídia ganhou a atenção das famílias, tornando-se a maior responsável pelo entretenimento da sociedade, principalmente no mundo ocidental.

 

Você já percebeu que o cristão tornou-se insensível a muitos pecados que são abominados pelo Senhor (1Co.5.11; Ef.5.5-6; Ap.21.8) e que no passado foram repudiados pelos cristãos? Um claro e constatável exemplo disso é a origem do biquíni que chocou até mesmo as modelos da época. Todavia, após uma longa insistência persuasiva do mundo pagão, tornou-se algo tão natural que nem mesmo o “fio dental” escandaliza mais os cristãos. É provável que você, que está lendo, também esteja passando por esse problema. Por isso, faremos dez perguntas e depois mostraremos os problemas por traz de tais questões:

 

– Você assiste filmes em que há beijos na boca?

– Você assiste filmes em que há cenas picantes, sensualidade e coisas semelhantes?

– Você assiste filmes em que há traição ou divórcio e não se escandaliza?

– Você não vê problema no modismo sensual (roupas etc) propagado pela mídia?

– Você aprecia obras que envolvam algum tipo de sensualidade ou nudez?

– Você ri de piadas indecentes, imorais ou que envolvem o NOME de Deus?

– Você aprecia obras “de arte” relacionadas a temas pagãos idólatras, como templos pagãos?

– Você se diverte com filmes que abordam temas que confrontam a Verdade?

– Você curte filmes que fazem apologias a uma visão distorcida de Deus?

– Você patrocina o entretenimento pecaminoso, participando das coisas que o mundo oferece, se divertindo à custa das blasfêmias do mundo contra Deus?

 

Talvez parece exagerado para você. Por isso, gostaria, agora, de criar uma situação imaginária para ajuda-lo a entender o problema. Se alguém fizesse uma pintura ou escultura de sua mãe, esposa ou filha nua, qual seria sua reação? Imagine, ainda, que alguém falasse mentiras maldosas sobre as pessoas que você ama. Como você trataria o assunto? Como você reagiria diante das pessoas que estivessem se divertindo à custa de imagens imorais contendo as pessoas que você ama ou passando adiante as informações maledicentes sobre você, ou outra pessoa querida? Você deixaria sua esposa (ou esposo) beijar vários homens (ou mulheres)? Essas e outras perguntas mais pretendem despertar você para o absurdo de tais pecados; os mesmos que estão sendo cometidos em muitos filmes que você assistiu, mas não se apercebeu.

 

Qualquer cristão ficaria revoltado se fizessem coisas imorais com sua família ou se falassem mal das pessoas que ama ou, ainda, se visse a esposa (ou esposo) beijar várias pessoas. Por que, então, o mesmo cristão que repudia pecados cometidos contra sua família, também não repudia esses mesmos pecados cometidos contra outras pessoas e, principalmente contra Deus? O Criador de tudo é difamado, desprezado e afrontado por meio dos muitos pecados presentes em muitos dos filmes, mas você não fica revoltado com isso. Será que o cristão não deve lutar pelo Senhor (Jd.3)? Será que Deus não se importa quando trocam a Verdade por mentiras (Rm.1.28)? Você percebeu a contradição nas atitudes? A incongruência no modo de agir também é pecado contra Deus, como diz Paulo: “Bem-aventurado é aquele que não se condena naquilo que aprova” (Rm.14.22).

 

As perguntas que fizemos podem ser tratadas em apenas três categorias: 1) sobre a sensualidade; 2) sobre a idolatria; 3) sobre a mentira:

 

1) O prazer físico que começa com um beijo na boca e pode se expressar de várias outras formas somente é permitido por Deus para o casal (Gn.2.24). Fora do casamento tais relações físicas são chamadas de adultério (Ez.16.32) ou prostituição (Gl.5.19). Portanto, as relações físicas entre os atores e atrizes são adultérios (para aqueles que são casados) ou prostituições (para os solteiros), pecados repudiados por Deus tanto no Antigo quanto no Novo Testamento, pois a Escritura diz: “o SENHOR, Deus de Israel, diz que odeia o repúdio e também aquele que cobre de violência as suas vestes, diz o SENHOR dos Exércitos; portanto, cuidai de vós mesmos e não sejais infiéis”; e: “Digno de honra entre todos seja o matrimônio, bem como o leito sem mácula; porque Deus julgará os impuros e adúlteros” (Ml.2.16; Hb.13.4 // Rm.2.22; 1Ts.4.3-8).

 

Ao se divertir com aquilo que Deus abomina, você afronta a Deus, favorecendo os inimigos dEle. Sobre isso, Tiago diz: “Infiéis, não compreendeis que a amizade do mundo é inimiga de Deus? Aquele, pois, que quiser ser amigo do mundo constitui-se inimigo de Deus” (Tg.4.4). Portanto, para que um filme seja considerado saudável com respeito à pureza, não deve conter prostituições nem adultérios, ou seja, nenhum ator ou atriz pode ter relações (desde o beijo na boca) com outro. Tenho certeza que você não deixaria sua esposa ou esposo fazer um filme em que tivesse que beijar outro homem ou mulher. Então, por que favorecer aqueles que fazem isso? A participação no pecado alheio torna o homem cúmplice diante de Deus (Ef.5.11).

 

2) Outro problema é a apreciação de obras e práticas idólatras, um tema completamente abominado pelo Senhor. Por todo o Antigo Testamento Deus mostrou o quanto odeia a idolatria. Israel deveria destruir tudo que fosse associado à idolatria, sem qualquer receio. O povo de Deus nunca foi motivado a apreciar as expressões idólatras como “arte”, pois a idolatria é aborrecida por Deus. Como, então, poderíamos apreciar templos pagãos idólatras e obras pagãs que retratam a idolatria de um povo que afronta a Deus ao trocar o Deus vivo por vãs imaginações de seu coração? Paulo diz que Deus entregou os idólatras à deploração para se destruírem por mudarem a glória de Deus, “servindo a criatura em lugar do Criador” (Rm.1.25).

 

Ao apreciar tais expressões da ignorância e maldade do homem, o cristão está concordando com a idolatria dos povos, pois aquilo que Deus abomina está sendo elogiado. Não há beleza no pecado; não há encanto naquilo que confronta a santidade de Deus. Somente o que glorifica a Deus pode ser apreciado; apenas aquilo que reluz perante a luz da glória do Senhor deve ser considerado belo. Se todo cristão odiasse o pecado, como a Escritura ordena, então repudiaria completamente toda expressão idólatra do homem, quer imagens pagãs, templos pagãos ou mesmo a avareza, glutonaria, bebedice, apreciação demasiada de pessoas (mesmo que sejam pregadores) etc (Cl.3.5-11). Toda idolatria é pecado contra Deus; é uma tentativa de substituir o Deus vivo e verdadeiro; uma expressão de rebeldia de quem não deseja servir ao Senhor.

 

3) O mundo ama a mentira, porque ele jaz no maligno (1Jo.5.19) que é mentiroso e pai da mentira (Jo.8.44). Portanto, toda mentira procede do maligno, nunca de Deus, porque “mentira alguma jamais procede da Verdade” (1Jo.2.21). Desta forma, toda expressão “artística” que propague mentiras, vãs filosofias, enganos de qualquer ordem, fazendo apologia a ideias contrárias à Verdade deve ser considerada afrontosa e blasfema, pois se levanta contra Cristo que é a Verdade (Cl.2.8; 1Tm.4.1-5). As mentiras desse mundo não são obras de inocência humana, pois não há homem inocente após a queda de Adão e Eva (Rm.3.9-18). Os enganos são obras malignas do diabo, do mundo e do pecado que propositadamente se voltam contra Deus (Ef.2.1-3), pois são seus inimigos, como diz o Salmo 2: “Os reis da terra se levantam, e os príncipes conspiram contra o SENHOR e contra o seu Ungido, dizendo: Rompamos os seus laços e sacudamos de nós as suas algemas” (Sl.2.2-3).

 

Você deve conhecer a Verdade e lutar por ela (1Tm.3.15), a fim de não ser apanhado concordando com toda sorte de mentiras. Israel tornou-se deplorável por causa da falta de conhecimento da Verdade e Deus castigou a nação por viver conforme a mentira: “O meu povo está sendo destruído, porque lhe falta o conhecimento. Porque tu, sacerdote, rejeitaste o conhecimento, também eu te rejeitarei, para que não sejas sacerdote diante de mim; visto que te esqueceste da lei do teu Deus, também eu me esquecerei de teus filhos” (Os.4.6). Não devemos pensar que o mesmo não possa sobrevir àqueles que desprezam o conhecimento de Deus em nossos dias. Mas, a luta pela Verdade não se expressa apenas em debates teológicos quando temos a oportunidade de combater as heresias. O bom combate do Senhor (1Tm.1.18-19; 6.12) ocorre no dia a dia quando agimos de acordo com a Verdade, confrontando todas as mentiras desse mundo, quer expressas em filmes, no ambiente de trabalho ou nas escolas e universidades cheias de professores inimigos de Deus.

 

Mas, como o cristão chegou ao absurdo de admirar, aplaudir e até concordar com pecados tão combatidos pela Escritura? Como o cristão tornou-se amigo do mundo favorecendo os inimigos de Deus? Não foi de uma hora para a outra! O mundo conseguiu injetar seu veneno no cristianismo e esperou que ele se espalhasse lentamente pelo corpo de Cristo que é a igreja. A insistência do mundo fez com que o cristão fosse cedendo pouco a pouco até que não mais conseguisse distinguir entre o certo e o errado. Ao tornar-se insensível, o cristão passou a favorecer toda forma de mal. Foi assim, também, que os filósofos que fornecem as bases para todo partido de esquerda maquinaram a inversão de valores da cultura, transformando as imagens negativas em imagens agradáveis e aceitas pela sociedade (Leia sobre as ideias do filósofo marxista Antonio Gramsci para entender os planos malignos dos líderes esquerdistas). A mesma técnica tem sido utilizada pela mídia para disseminar todo tipo de pecado na sociedade.

 

Para ilustrar isso, podemos relembrar o processo de aceitação do homossexualismo. Esse pecado sempre foi odiado pelo povo de Deus e tratado como abominação perante os olhos do Senhor. Mas, o mundo começou a fazer piadas sobre homossexualismo para que as pessoas começassem a rir, quebrando o rigor, tornando o assunto um pouco mais simpático aos olhos da sociedade. Aos poucos foram inserindo homossexuais “bonzinhos” em filmes, seriados e novelas para que as pessoas olhassem para eles como pessoas “boas”, a fim de que as aceitassem naturalmente. Então, a sociedade deixou de ver o homessexualismo da mesma forma como Deus o vê: uma abominação (Gn.19.1-25; Rm.1.26-27).

 

No final desse artigo, é possível que você esteja pensando: “- Se retiramos dos filmes tudo isso que foi dito acima, não sobrará nada para assistir”. Caso não sobre mais nada, então seu desafio é mostrar que ama mais a Deus do que a si mesmo. Quem disse para você que ser cristão seria fácil? Jesus disse: “Se alguém quer vir após mim, a si mesmo se negue, tome a sua cruz e siga-me. Porquanto, quem quiser salvar a sua vida perdê-la-á; e quem perder a vida por minha causa achá-la-á. Pois que aproveitará o homem se ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma? Ou que dará o homem em troca da sua alma?” (Mt.16.24-27). A vida cristã é uma constante renuncia, pois vivemos em um mundo que jaz no maligno (1Jo.5.19). Foi assim que viveram os grandes homens de Deus do passado e é desse modo que o Senhor deseja que vivamos ainda hoje.

 

Esse é o momento em que os verdadeiros cristãos são revelados, pois “venceram por causa do sangue do Cordeiro e por causa da palavra do testemunho que deram e, mesmo em face da morte, não amaram a própria vida” (Ap.12.11). Para isso, você deverá amar a Deus “de todo o teu coração, de toda a tua alma e de todo o teu entendimento” (Mt.22.37), pois a única forma de vencer o mundo, a carne e o diabo é por meio do poder de Deus que vem do Espírito e da Palavra, em Cristo Jesus. A busca pelo que é bom envolve guerra contra si mesmo, negação de si mesmo, pois a natureza caída não dará trégua, tentando seduzi-lo a se satisfazer por meio do pecado. E para vencer, você precisará viver uma vida em Cristo. Então, procure em Jesus a capacidade para buscar aquilo que é bom e agradável a Deus, a fim de que tudo que você faça seja realmente para a glória do Senhor (1Co.10.31). Busque um lazer aprovado por Deus!

Compartilhe no Facebook
Gostei
Please reload

Posts Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Pastor Alexandre A. Costa

Ligue:

54 984 136 915

Igreja Matriz: 

Rua Ernesto Zanrosso, 2669

Caxias do Sul-RS

  • White Facebook Icon
  • White YouTube Icon
  • Branco Ícone Google+
  • SARCAICO

Envie seu Pedido de Oração

*Campos Obrigatórios

Congregação em Vacaria: 

Rua Teodoro Borges dos Santos, 520, Vacaria-RS

Versão 4.4.3 © 2017 Igreja Presbiteriana de Caxias do Sul. Todos os Direitos Reservados.