Ame o trabalhar de Deus em sua vida


“Sabemos que todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito.” (Rm.8.28)

Você ama o trabalhar de Deus em sua vida? Não estou me referindo aos momentos em que Deus ouve suas orações e o livra de angustias, problemas, doenças e crises financeiras. Ser ajudado por Deus é bom, mas não é o melhor que o Senhor tem para seus servos. A maior bênção divina concedida aos justificados é o processo de santificação, “sem a qual ninguém verá o Senhor” (Hb.12.14).


O maior interesse do Senhor com respeito a nossa vida é tornar-nos semelhantes a seu Filho Jesus. Por isso, Paulo diz “que todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito” (Rm.8.28). Ou seja, coisas boas e ruins acontecem na vida dos filhos de Deus para contribuírem com a santificação deles.


Você já pensou, então, que Deus coloca pessoas em sua vida para ajudá-lo a crescer em maturidade cristã? O casamento, por exemplo, cumpre muito mais do que o papel de alegrar nosso coração, pois a pessoa com a qual convivemos exige de nós paciência, amor, capacidade de perdoar, cumprimento dos respectivos papéis etc. No dia a dia da vida conjugal nosso cônjuge, mesmo sem saber, está contribuindo para nosso crescimento espiritual, instigando-nos a viver uma vida para a glória do Senhor diante das contrariedades.


Mas, não pense que somente o cônjuge tem papel importante no processo de santificação. Muitas outras pessoas e circunstâncias serão instrumentos para seu aperfeiçoamento cristão: amigos, inimigos, irmãos da igreja, pastores, momentos difíceis, provações, privações etc. Mas, como tudo isso contribui para nossa santificação? Como coisas indesejadas e momentos simples da vida podem contribuir para nosso crescimento espiritual?


Deus usa pessoas e situações para nos santificar de várias formas. Uma delas é por meio do ensino. Quando o pastor prega fielmente a Escritura, Deus está usando-o para santificar você. Quando pais ensinam a Palavra de Deus para os filhos, eles são instrumentos para santificar os filhos. E qualquer pessoa que nos ensine a Bíblia com fidelidade será instrumento para nossa santificação. Por isso, é importante “enchei-vos do Espírito, falando entre vós com salmos, entoando e louvando de coração ao Senhor com hinos e cânticos espirituais” (Ef.5.18-19).


Além do Senhor usar pessoas para nos santificar pelo ensino, Deus utiliza-se da vida delas para trabalhar nosso caráter indiretamente. Isso acontece porque todas as pessoas possuem defeitos e diferenças. E quando nos deparamos com esses defeitos e diferenças, somos exigidos a colocar em prática o amor, a paciência, a correção, o perdão, a humildade, a mansidão, a obediência, a firmeza, a submissão, o domínio próprio etc. Ou seja, por meio de nossos relacionamentos somos instigados a pôr em prática o que aprendemos da Palavra de Deus, a fim de desenvolvermos a salvação com temor e tremor (Fp.2.12), crescendo “em tudo naquele que é a cabeça, Cristo” (Ef.4.15).


Mas, para que você tire o melhor proveito possível do trabalhar do Senhor em sua vida é necessário estar atento ao propósito santificador de Deus para seus filhos e estar disposto a ser trabalhado por nosso Senhor e Salvador. Você precisa fazer do propósito santificador de Deus seu propósito também, e desejar que a santidade do Senhor seja vista em seu viver. Você precisa amar mais a Deus do que tudo que Ele pode nos dar nessa vida.


Afora as pessoas, o Senhor ainda nos proporciona momentos diversos de angústia, provação e privação por meio dos quais somos testados e desafiados a agir de forma piedosa, santa e agradável ao Senhor, colocando em prática o que temos aprendido em Sua Santa Palavra. Nas privações, devemos confiar no Deus da provisão e mostrar contentamento com tudo; nas provações, precisamos agir com fidelidade à Escritura não cedendo às pressões e às tentações do mundo; e nos variados momentos difíceis, nosso amor a Deus é testado e nossa alegria na salvação em Cristo Jesus pode ser exercitada.


Portanto, em vez de olhar para as adversidades como problemas somente, olhe para os desafios como momentos proporcionados por Deus para que você amadureça na fé (Rm.5.3-5). Em vez de olhar para as diferenças entre os irmãos como algo negativo, veja na variedade de pensamentos, dons e modo de ser um instrumento divino para trabalhar seu caráter exigindo de você o exercício do fruto do Espírito no convívio com os irmãos (Gl.2.22-23), pois as virtudes são confirmadas quando passamos “pelo vale da sombra da morte” (Sl.23.4).


Lembre-se de que nossa vida nesse mundo, o qual jaz no maligno (1Jo.5.19), é passageira e que aguardamos a volta de Cristo (2Pe.3.13), a fim de que desfrutemos “novo céu e nova terra” (Ap.21.1) onde “a morte já não existirá, já não haverá luto, nem pranto, nem dor, porque as primeiras coisas passaram” (Ap.21.4). Dessa forma, a esperança da vida eterna e o desejo pela manifestação da glória de Jesus lhe ajudarão a ajustar seu foco, a fim de que deseje mais a santificação de sua vida, mesmo por meio de contrariedades, do que os benefícios passageiros dessa vida. Então, ame o trabalhar de Deus em você e aproveite bastante cada oportunidade para amadurecer sua fé (Hb.12).


Posts Recentes
Arquivo

Pastor Alexandre A. Costa

Ligue:

54 984 136 915

Igreja Matriz: 

Rua Ernesto Zanrosso, 2669

Caxias do Sul-RS

  • White Facebook Icon
  • White YouTube Icon
  • Branco Ícone Google+
  • SARCAICO

Envie seu Pedido de Oração

*Campos Obrigatórios

Congregação em Vacaria: 

.

Versão 4.4.3 © 2017 Igreja Presbiteriana de Caxias do Sul. Todos os Direitos Reservados.