Não aos descartáveis!

February 1, 2020

 

- NÃO AOS DESCARTÁVEIS!

Grita apaixonada, em protesto público, Gisele, uma defensora do meio ambiente.

 

Findo o protesto, Gisele vai para casa, toma um banho e, vendo que o esposo esqueceu de encher as garrafas com água, começa a gritar, sedenta, com o marido, ameaçando deixa-lo por várias razões que são relembradas mais uma vez. A defensora de materiais permanentes em lugar de descartáveis, com vistas a não poluição do meio ambiente, mostra um coração inclinado a poluir a sociedade tornando o relacionamento conjugal em algo descartável. Gisele está disposta a lutar em defesa da natureza, mas não se dá conta de que está destruindo a sociedade com sua medíocre visão sobre o casamento. Ela usaria o mesmo copo de vidro por toda a vida (em vez de fazer uso de um só descartável), mas seria capaz de descartar o esposo por causa de seus defeitos ou mesmo em razão de um esfriamento do próprio coração; ela não jogaria um copo descartável no chão, mas seria capaz de jogar o próprio marido na rua.

 

Lembro-me de ter visto muitos e apaixonados protestos nas redes sociais por causa de um cachorro morto a paulada. De fato, a ação do cara que matou o cachorro foi brutal e desnecessária. Semelhantes protestos ocorrem em favor de gatinhos, cachorrinhos e outros animaizinhos maltratados desnecessariamente por mera maldade de algumas pessoas. Todavia, as mesmas pessoas que protestam contra os maus-tratos a bichos chegam em casa e gritam com o cônjuge, abandonam a relação sexual com o marido, maltratam aquele que é carne de sua carne com atitudes e palavras, deixando profundas feridas no coração de alguém que fora criado à imagem e semelhança do Criador. Desse modo, enquanto a natureza é preservada por seus defensores, a sociedade é destruída por essas mesmas pessoas que, sem qualquer senso de culpa, violentam o casamento, maltratam a família e se mostram tão brutais em casa quanto aquele rapaz que matou o cachorro a paulada.

 

A desordem mental do ser humano, por causa da ação do pecado no homem, faz com que este inverta a ordem de prioridades. Bichos se tornaram mais importantes que pessoas, o meio ambiente é mais valorizado do que a sociedade e bens materiais são mais estimados do que a família. Essa desordem na lista de prioridades que devemos ter faz com que o casamento se torne descartável, a sociedade seja poluída e as pessoas sejam maltratadas sem qualquer remorso no coração. E todas essas coisas acontecem diariamente sem qualquer manifesto nas ruas, desconsiderando-se, completamente, os profundos danos que tudo isso traz para a vida como um todo. Não há quem grite em protesto dizendo: – Não ao divórcio! – Não ao orgulho feminino e masculino! – Não às brigas de casais! – Não ao egoísmo dos cônjuges!

 

Portanto, de que adianta ter tanto cuidado com coisas secundárias quando algo primário está sendo negligenciado? A família está sendo destruída pelo orgulho de seus cônjuges, mas o casal se preocupa com a forma como as pessoas os veem, como se a aparência pudesse sarar feridas deixadas pelos maus-tratos feitos um ao outro. Filhos estão sendo marcados profundamente com as brigas, ignorâncias, indiferenças, confusões etc. da relação de seus pais, mas estes só se preocupam com as notas que os filhos tiram na escola. A inversão de valores está destruindo a família e a sociedade, mas ninguém se dá conta de sua parcela de culpa.

 

De que adianta defender animais quando estão maltratando pessoas?

De que adianta preservar coisas quando estão jogando pessoas no lixo?

De que adianta alimentar bichos quando há pessoas famintas?

De que adianta ser bom com estranhos quando se faz maldade com a propria família?

De que adianta tratar bem amigos quando se trata mal o próprio casamento?

De que adianta servir aqueles que estão fora quando se nega até a relação íntima ao cônjuge?

 

Primeiramente, é preciso colocar em ordem as prioridades dentro do coração, a fim de que toda luta pelo que é certo seja batalhada da forma correta. Quando alguém se indigna com os maus-tratos a bichos, mas faz mal ao cônjuge, está afirmando que os animais são mais importantes do que as pessoas, tornando o ser humano em alguém sem dignidade alguma. Então, todo protesto contra a maldade humana deve começar dentro do próprio coração em sua relação com as pessoas mais próximas: a família. Portanto, é fundamental perguntarmos: Qual a ordem de prioridades dentro de seu coração?

 

Para que saibamos cuidar bem daquilo que é secundário, é necessário, primeiramente, darmos o devido valor ao que é primário. Quem não sabe cuidar da família não saberá cuidar de amigos; quem não ama o cônjuge não amará o estranho; quem não preserva o relacionamento conjugal não cuidará corretamente dos animais; quem não zela pelo bem-estar da sociedade não terá o devido cuidado com o meio ambiente. Militantes que lutam por alguma causa em favor do homem, da sociedade ou da natureza precisam começar pela própria família, cuidando dela como Deus, o Criador, nos ensina em sua Palavra (Gn.1.18-25; Sl.127; Sl.128; Mt.19.3-9; Jo.13.34-35; 1Co.13.1-8; Ef.5.22-33; Tt.2.1-10; 1 Tm.5.8 etc.). Caso contrário, o homem será negligente, deixando de cuidar daquilo que requer sua atenção, ou será idólatra, tratando de modo errado a criação, colocando-a no lugar do Criador. Então, é preciso organizar as prioridades em seu coração!

 

Se você quer cuidar bem da criação e da sociedade, se você quer defender os direitos humanos do homem, da mulher e da criança, então comece a valorizar, defender e cuidar de sua própria família, a começar pelo seu cônjuge. De que vale cuidar de um bichinho quando se maltrata o cônjuge? Ame seu marido ou sua esposa! Sirva ao cônjuge com prazer, inclusive com a relação íntima que o alegrará. Cuide bem do ambiente doméstico onde vive sua família, antes de pensar em cuidar da natureza a seu redor. Seja, primeiramente, uma bênção para seu cônjuge para, depois, ser uma bênção para outras pessoas quer da igreja quer da sociedade em geral. Preserve a relação conjugal por toda a vida, mesmo que muitos erros e problemas apareçam no decurso do casamento, pois não devemos jogar pessoas no lixo por causa de seus pecados nem muito menos em razão de interesses particulares. Se é errado desmatar a Amazônia por causa de ambições particulares de algumas pessoas, mais errado ainda será acabar com o casamento e jogar fora o cônjuge por causa de questões particulares do coração. Então, Diga não aos descartáveis!

Compartilhe no Facebook
Gostei
Please reload

Posts Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Pastor Alexandre A. Costa

Ligue:

54 984 136 915

Igreja Matriz: 

Rua Ernesto Zanrosso, 2669

Caxias do Sul-RS

  • White Facebook Icon
  • White YouTube Icon
  • Branco Ícone Google+
  • SARCAICO

Envie seu Pedido de Oração

*Campos Obrigatórios

Congregação em Vacaria: 

Rua Teodoro Borges dos Santos, 520, Vacaria-RS

Versão 4.4.3 © 2017 Igreja Presbiteriana de Caxias do Sul. Todos os Direitos Reservados.